Nelsinho Piquet retorna ao GRC para abertura do campeonato em Fort Lauderdale

“Não vejo a hora de matar a saudade do meu Ford Fiesta ST 4×4 e voltar a saltar de carro”, diz o piloto da SHR Rallycross

Previous Image
Next Image

No topo da tabela de classificação da novíssima Fórmula E com suas pistas de rua, Nelsinho Piquet retorna neste fim de semana a um circuito urbano. Mas o silêncio dos monopostos elétricos ficou na Europa, esperando o ePrix da semana que vem em Moscou. A partir deste sábado, em Fort Lauderdale (Flórida), o brasiliense participa da etapa inaugural do Red Bull Global Rallycross Championship em 2015.

Quarto colocado no campeonato do ano passado depois de passar a maior parte da temporada na liderança, o brasiliense permanece a bordo do Ford Fiesta ST #07 preparado pela equipe SHR Rallycross.

“Não vejo a hora de matar a saudade do meu Ford Fiesta 4×4 e voltar a salta de carro”, diz Piquet Jr. Para a abertura da temporada, seu carro será preto e amarelo, com WIX Filters como patrocinador principal. Ao longo da temporada, a marca será alternada com a Hydroxycut, no layout vermelho do carro #07.

“Para esta temporada, permanece a estrutura que funcionou no ano passado. Mas reforçamos o time para o trabalho na oficina entre as corridas. Era meu primeiro ano completo na categoria e conseguimos alguns pódios, inclusive nos XGames. A expectativa é ir além em 2015”, acrescentou o piloto, primeiro competidor brasileiro a conquistar uma medalha em esporte a motor na história das “Olimpíadas de Esportes Radicais”.

A etapa de Fort Lauderdale marca o retorno do GRC a uma pista de rua após um hiato de quase três anos: a última etapa que aproveitou parte das vias urbanas de uma cidade no traçado foi os XGames de Los Angeles, em junho de 2012, evento vencido pelo multicampeão de rally Sébastien Loeb.

São 12 carros inscritos para a abertura da temporada na categoria Supercars, a principal do GRC. Entre os competidores estão os americanos Scott Speed, Tanner Foust e Ken Block, o norueguês Sverre Isachsen, o sueco Patrik Sandell e o finlandês Joni Wiman, campeão de 2014. O grid tem ainda dois novatos: o porto-riquenho Victor Gonzalez e o sueco Sebastian Eriksson.

A dinâmica do evento permanece como a do ano passado: uma tomada de tempo define as posições do grid para as eliminatórias e, a partir daí, os carros disputam corridas preliminares que premiam o vencedor e o segundo com pontos no campeonato. No domingo acontecem as semifinais, a respescagem e a finalíssima, que sempre é a prova mais longa da etapa.

Todas as pistas da temporadas mesclam duas superfícies. Em Fort Lauderdale a relação entre a seção pavimentada e a de terra é de 75% para 25%. As provas de rallycross têm também o “joker” em um determinado setor: no GRC, é um trecho mais curto, de passagem obrigatória uma vez em cada bateria.

A temporada 2015 terá 12 eventos, sendo dez em solo norte-americano e uma rodada dupla em Barbardos, no Caribe.

Modalidade automobilística que mais cresceu em audiência na TV americana em 2014, o GRC terá pistas entre meia e uma milha de extensão (de 800m a 1,6km), mesclando superfícies e obstáculos. Os carros do GRC têm até 600 HP, fazem de zero a 100 km/h em 1s9 sem controle de tração e são capazes de saltos de até 20m.

Calendário – Red Bull Global Rallycross Championship

31.mai – Ft. Lauderdale
21.jun – Daytona
05.jul – Base Militar
25.jul – Detroit 1
26.jul – Detroit 2
15.ago – Washington
30.ago – Seattle
12.set – Los Angeles 1
13.set – Los Angeles 2
03.out – Barbados 1
04.out – Barbados 2
04.nov – Las Vegas