Átila e Piquet focam adaptação no primeiro dia de treino da Stock Car

Inicialmente prevista apenas para os titulares, programação de quinta foi alterada, o que garantiu ao campeão mundial da Fórmula E boa quilometragem com pista seca e molhada

Previous Image
Next Image

Na prática, a temporada 2016 da Stock Car começou nesta quinta-feira em Curitiba. Foram duas sessões de treinos livres, que permitiram a Átila Abreu e Nelsinho Piquet acumular boas voltas para se adaptarem aos upgrades do equipamento da categoria e, principalmente, à dinâmica de trabalho da Shell Racing.

Inicialmente, a organização havia determinado os dois treinos exclusivos para os pilotos regulares da Stock Car. Mas atendendo pedido das equipes, liberaram a segunda sessão do dia também para os convidados.

Competidor titular do Chevrolet #51, Átila Abreu iniciou os trabalhos pela manhã e ficou bem satisfeito com a programação cumprida na pista onde acumula duas vitórias e duas poles.

“O dia hoje foi muito produtivo e obviamente foi o primeiro contato de fato com a pista e o time, pois ontem foi apenas um shakedown. O primeiro treino serviu para passar algum feedback, conhecer um pouco o carro novo, porque obviamente cada equipe tem o seu conceito do ponto de vista mecânico. Aproveitei para me adaptar com o carro, dar aquela desenferrujada depois de quase três meses sem andar. O carro tem um potencial interessante e agora vamos buscar velocidade em tempo de volta e achar o melhor acerto com as mudanças para este ano”, afirmou o sorocabano.

Átila citou principalmente a caixa de direção “bem mais leve e precisa” e “a frente nova do carro, que gera um downforce bem maior”.

Pouco antes do segundo treino choveu forte, e a equipe Shell Racing resolveu mandar Piquet Jr para a pista. “Foi bom porque ele saiu e pegou a pista com água no início e no fim andou de slick. Apesar de o Nelsinho conhecer o carro é importante ter essa quilometragem, porque nesse um ano tenho certeza que ele pilotou no mínimo uns seis ou sete carros diferentes, então é bom para relemebrar. Acho que amanhã faremos um treino mais consistente, considerando as opiniões dos dois. Como nos outros anos, percebi que o carro que era bom para mim era bom para ele e hoje acho que foi a mesma tendência”, completou Átila, otimista para a sequência do trabalho em Curitiba.

Piquet também frisou a adaptação e as condições variadas ao longo do seu tempo de pista.

“As condições estavam difíceis, um pouco arriscado com a pista úmida, então tomei cuidado para o carro não sair da pista. Hoje não tinha motivo para forçar, e sim relembrar e pegar a mão do carro, para arriscar na hora certa. De todo modo acho que deu para aprender e vamos continuar trabalhando para conseguir ajudar o Átila”, afirmou Nelsinho.

Na sexta há mais duas sessões de treinos livres. A tomada de tempo acontece às 12h de sábado, com a somatória dos tempos das melhores voltas de titular e convidado. No domingo, a largada está marcada para 12h30. Quali e corrida terão transmissão ao vivo dos canais Sportv.