Após fechar temporada do Global Rallycross em quarto, Piquet Jr mira os pontos no ePrix da Malásia

Único representante do grid a fazer as 12 finais da temporada no GRC, brasiliense viaja 15 mil km para etapa 2 da Formula E, onde espera equipamento mais competitivo que o da estreia

Previous Image
Next Image

Depois de uma maratona aérea de 15 mil km, Nelsinho Piquet desembarcou na Malásia otimista com a possibilidade de pontuar na segunda etapa da temporada 2 da Fórmula E. A prova tem largada prevista para 4h da manhã de sábado, com transmissão ao vivo do Fox Sports.

“Foi uma longa viagem, desde Las Vegas”, disse o piloto, que na noite de quarta-feira encerrou sua participação no Red Bull Global Rallycross Championship com sexto lugar na etapa e quarto no campeonato.

“A expectativa do fim de semana é que seja melhor que a China. Obviamente temos alguns problemas com o carro que não vão ser resolvidos em pouco tempo e temos que continuar trabalhando a temporada inteira para aprimorar aos poucos. Mas aqui é uma pista muito mais difícil que a de Pequim, o que acredito que nos permitirá mais competitividade. São mais variáveis, maior possibilidade de erro dos pilotos e a necessidade de todos os times de trabalhar mais no acerto do carro –além da questão da chuva, sempre presente na Malásia. Vamos trabalhar na estratégia e também contar com um pouco de sorte para marcar alguns pontos nessa corrida”, acrescentou o primeiro campeão mundial da FIA Fórmula E.

O carro #1 do Nextev TCR foi sorteado para o grupo 3 do qualificatório, que tem início a partir da meia noite (horário de Brasília), também com transmissão do Fox Sports. Uma das novidades da temporada 2 da Fórmula E, a tomada de tempo agora tem os cinco melhores da fase de grupos disputando a Superpole simultaneamente na parte final do treino.

Até o fim da manhã desta sexta-feira, Piquet Jr estava entre os três mais votados no FanBoost para o ePrix malaio. Nesta temporada, a enquete oficial foi ampliada para outros canais de mídias sociais além do site oficial e permanece aberta até o sexto minuto da prova –garantindo ao trio mais votado um acréscimo de potência apenas no segundo carro. Nelsinho conquistou o FanBoost nas últimas sete etapas da Fórmula E.

Se a chuva favorecer o desempenho do brasileiro na Malásia, será uma reviravolta em relação ao que ocorreu no deserto de Nevada na finalíssima do GRC –disputada numa rara noite chuvosa em Las Vegas.

Depois de classificar o Ford Fiesta ST #07 em terceiro, o piloto da equipe SHR Rallycross fez terceiro na eliminatória 1 e venceu a segunda. Na semifinal, já com pista bem molhada, foi segundo colocado.

“O carro veio muito bem até a semifinal. Depois o time colocou um jogo de pneu de chuva novo para a final, o que deu muito errado. Foi uma pena, porque a pista era legal e as condições muito difíceis. Perdi posições na largada da final, quando faltou tração, e aí acabei envolvido em batalhas por posições que acabaram me deixando fora do pódio. Terminamos em sexto a corrida e perdemos a terceira posição no campeonato”, lamentou o brasiliense.

Apesar de ter finalizado sua segunda temporada completa no GRC na mesma quarta posição que a do ano passado, Piquet destacou o trabalho realizado junto ao time. Ele foi o único piloto da série a participar das 12 finais da temporada, venceu pela primeira vez na categoria (em Washington DC) e subiu no pódio em quatro etapas.

GRC – Classificação final (top5):

  1. Scott Speed 456 pontos
  2. Sebastian Eriksson 400
  3. Tanner Foust 400
  4. Nelson Piquet Jr 380
  5. Joni Wiman 370